Durante a pandemia de coronavírus, é na imprensa que as pessoas têm buscado informações para se atualizarem sobre os problemas gerados pelo COVID-19.

Na verdade, os espaços jornalísticos passaram a ser ainda mais valorizados, pois são através deles que informações oficiais são acompanhadas e que especialistas e fontes oferecem sua visão e entendimento sobre os fatos.

Credibilidade

Claro que muitos profissionais têm utilizado as redes sociais para disseminar suas considerações, opiniões, pareceres, muitas delas corretíssimas. Mas, em tempos de fake news, no cenário atual, são os veículos tradicionais de imprensa que legitimam tais informações, que emprestam credibilidade.

Ou seja, o jornalismo é um serviço extremamente essencial e relevante para a sociedade, carregado de reputação, confiabilidade.

Confiança das pessoas nos veículos de imprensa

O diagnóstico de duas pesquisas divulgadas nos últimos dias mostra que em meio à pandemia do novo coronavírus, a confiança do público no jornalismo profissional passou a crescer.

Levantamento da Edelman revela que 64% da população de dez países, entre os quais o Brasil, enxerga o trabalho da imprensa como a fonte mais confiável no contexto de pandemia da Covid-19.

Já os dados do Datafolha divulgados na última segunda-feira (23/03) afirmam que os programas jornalísticos das emissoras de televisão (61%) e os jornais impressos (56%) são as fontes com maior índice de confiança sobre as informações acerca da doença.

Serviço essencial

Nesta quinta-feira (26/03), o Presidente Jair Bolsonaro editou Medida Provisória e Decretos para alterar e regulamentar a legislação vigente sobre o enfrentamento ao novo coronavírus no Brasil.

As normas disciplinam, para todo o país, quais serviços são considerados essenciais e, portanto, não podem parar. E na lista dos serviços classificados como essenciais está a imprensa.

Imprensa traz legitimidade 

Desse modo, para empresas, entidades e profissionais, estar bem posicionado nos veículos de comunicação, gerando conteúdo relevante, é importantíssimo para a credibilidade e imagem institucional da marca, principalmente em meio a crise do coronavírus e toda a sua repercussão.

Prescindir da legitimidade que os espaços jornalísticos proporcionam, dos veículos de comunicação tradicionais, não parece ser uma boa opção para organizações, empresas e profissionais.